Véu em Solo SERTÃO CENTRAL

"Sertão onírico, ao deparar-se com tua exuberância solar, não há olhar que não transborde. Do solo árido, brotando como juremas, a história se impõe à seca, esgueirando-se nas sombras, nas casas de taipa. Miríade de sentires. O sertão não cessa de escrever-se na poesia das pedras, do vento, dos cactos."
 Jota Mombaça

É um ensaio fotográfico mostrando o universo masculino e feminino da mulher sertaneja dentro de um contexto surreal, cheio de sonho e psicodelia. Contamos sobre a força, a delicadeza e o drama desta mulher vestida de sonhos. "A NOIVA" é a figura que está representada nos cenários poéticos e geográficos de Lajes do Cabugi.






Os cenários:
Lajes do Cabugi quer dizer na língua Tupi-guarani, "Regiões das pedras", reverenciamos o solo e suas pedras. No Pico do Cabugi (único vulcão extinto do Brasil) onde escalamos até metade dele, pelas pedras vulcânicas, contamos a história da "Noiva" em chamas - a paixão. A outra escalada foi na Serra do Feiticeiro, onde retratamos a historia de um semi-Deus; uma criança que se perdeu por lá. Um Santo. A "Noiva” está com uma criança nos braços, e várias outras por perto, como se fosse o fantasma dele... O Mito. 
A religiosidade do sertanejo é o sentimento mais forte deste povo... A fé! 
Com os ex-votos na Capela da Divina Santa Cruz, a "Noiva é a promessa de alguém. 
Na Pedra do Anjo, a morte compõe o ditado Bíblico "Do pó viemos, ao pó retornaremos". As outras fotos foram feitas na Fazenda da minha família (Fazenda Tapuio). Na casinha de Pau a pique, no forno de Barro onde eles queimam a lenha para transformar em carvão, mostrando a força e o afeto, do cuidado com a casa... A família. O transporte de água para o consumo em galões (baldes) pendurados em seus ombros; No Umbuzeiro (fruteira nativa do semi-árido brasileiro) onde em sua sombra descansam os vaqueiros e bebiam a água de sua raiz para matar a sede... Aqui retratamos o drama da sede. O buquê feito de algodão representa o tempo de ouro da agricultura. A vegetação, a Caatinga, que tem muitas espécies de cactos, estão sempre em cena. Os animais do lugar entram em cena, principalmente o Burro Mulo. As Armas que usavam para a caça, representando a luta em busca do sonho. No reservatório de água (açude) do lugar, a "Noiva" nasce da lama. 
E este lugar, tem a honra de ter sido governado por Alzira Soriano, ícone da historia política latino americana nos anos vinte. Ela foi a primeira mulher prefeita da America Latina.
Somos sete, em muitos, envolvidos neste projeto que chamei de "delírio". 
O caminho que trilhamos todos juntos foi a dialética dessa expedição, onde refletimos acerca da realidade do que vimos e vivemos, a partir de cada um de nós. 
Nesta troca necessária que apura a alma. Um coletivo que somamos, e chamamos de "Solares".
Nalva Melo

Coletivo SOLARES | Ficha Técnica
Concepção/Maquiagem: Nalva Melo
Fotógrafo/Design: Flávio Aquino
Atriz/Modelo: Civone Medeiros
Texto/Making-off: Jota Mombaça e Manú Albuquerque
Direção de Cena: Alê Gomes
Figurino: Ricard8 San Martini
Equipe Apoio: Jefferson Martins, Daniele Gonçalves
Apoio Logístico, Lajes/RN: Trilheiros da Caatinga (Leandro, Eudes)

VERNISSAGES:
LAJES: Dia 3 de dezembro de 2011, as 7:00h no Salão Nobre da Prefeitura dentro da programação do Aniversário da Cidade
06:00 Alvorada;
07:00 Abertura da Exposição VÉU em SOLO Sertão Central com café da manhã em seguida de corrida pedestre e corrida ciclística;
15:30 Desfile das Escolas pelas principais ruas mostrando um pouco da História de Lajes;
17:00 Campeonato com ex-atletas do ABC Natal e América
19:30 Missa em Ação de Graças
21:30 Apresentação da Banda Filarmônica no Patamar da Igreja
22:00h Animação da Banda Pegação na Praça Central
NATAL: 06 de Dezembro, 19:30h na Pinacoteca do Estado, Praça 7 de Setembro, S/N - Cidade Alta.


Um comentário:

  1. E apreciar tal beleza...
    Será também um privilégio lilás.
    Que já afivela as malas e a certeza...
    Rumo à Natal...logo me verás.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...